Mais Arquivos. fevereiro 2017

Perguntas e respostas sobre o sistema operacional da Kaspersky

Lançamos oficialmente nosso próprio sistema operacional seguro para dispositivos de rede, sistemas de controle industrial, e IoT. (Internet das Coisas).

O Sistema Operacional não tem código Linux, é baseado no microkernel que permite aos usuários examinar o código fonte para verificar que não há nada ocorrendo que não tenha sido autorizado

O sistema operacional foi concebido originalmente dia 11 de novembro; e por isso nos referimos a ele como 11-11. Trata-se de um ciclo de desenvolvimento muito longo, sem dúvida: trabalhamos no projeto por 14 anos e até mesmo executamos testes piloto. Agora o sistema operacional está pronto para consumo e disponível para implementação por todas as partes interessadas em diversos cenários.

Eu os pouparei dos detalhes de nerd, mas se você quiser algo mais técnico – veja aqui. Prefiro manter o foco coisas que não abordamos nesse artigo, de modo que responderei algumas perguntas feitas com frequência, além de desmitificar algumas teorias sobre o novo sistema operacional.

Leia em:Perguntas e respostas sobre o sistema operacional da Kaspersky

Arqueologia da internet

A internet – aquela que todos nós conhecemos e não conseguimos viver sem hoje em dia – ainda é um fenômeno relativamente novo. Há apenas 20 anos não existia Google ou Yahoo… e há 12 anos você só poderia ter uma conta no Facebook se fosse membro da Liga Ivy; os únicos tuítes que existiam eram originais, versões análogas; e iPhones estavam apenas nos sonhos do Steve Jobs.

(O primeiro iPhone surgiu há 10 anos, não tinha câmera frontal, sem vídeo, sem GPS, sem loja da Apple! Quase todas as coisas que temos hoje não passavam de ideias impossíveis e loucuras há uma década.)

Há uma confusão com a terminologia da palavra “internet”. A “internet” é usada para se referir a todas as coisas enquanto que, estritamente falando, a internet é uma super-rede com uma junção de várias redes locais conectadas entre si com protocolos TCP/IP. Essa infraestrutura usa a WordWideWeb, ou seja, uma rede de milhões de web servidores por todo mundo, que contém o Google, Facebook e os outros milhões de sites.

É a este ambiente informacional que as pessoas se referem quando dizem que encontraram alguma coisa na internet ou perguntam se você foi banido de usar a internet no trabalho. No entanto, além da infraestrutura de web (www) da internet, há outras ferramentas, como conexões peer-to-peer, e-mails, servidores FTP e outras coisas uteis como CCTV, televisões, caixas automáticos, carros, fontes de escrita e etc.

Mas a teoria e a prática de redes de computadores modernos não são o objetivo do texto de hoje. Ao invés disso, gostaria de falar sobre… arqueologia! Ou quase isso. Eu quero falar sobre os protótipos de internet do passado (no sentido amplo da palavra “internet”).

Synco (Chile)

Leia em:Arqueologia da internet

Photostream do Flickr

Instagram

Inteligência humana combatendo malwares

É obvio, eu recebo muitos spams na minha caixa de e-mails – provavelmente mais do que a maioria. Décadas entregando meu cartão de visita aqui e ali; nosso domínio incluído em apresentação de slides, publicações, catálogos e assim por diante. Somados à simplicidade do meu endereço de e-mail. Às vezes endereços de e-mail de alguns funcionários são deixados de lado como isca de spams, enquanto configuramos novos endereços com pequenas alterações. Mas não dá pra fazer isso com o meu, dá?! Infelizmente não, por que, primeiro, eu preciso manter o inimigo bem perto e observado, segundo, quero ser capaz de, pessoalmente, monitorar a qualidade da nossa proteção anti-spam. Além disso, não me importo com uma piada de vez em quando.

Assim como entomologistas com borboletas, eu arquivo os e-mails de spam em uma pasta separada, analiso, e determino tendências de veracidade e falsos positivos, e encaminho os que escaparam para nosso laboratório anti-spam.

Curiosamente, desde o começo do ano, a quantidade de spam aumentou muito. E depois de estudar a estrutura e o estilo, parece que a maioria vem de apenas uma (1) fonte! Quase todas as mensagens são em Inglês (só duas em Japonês), e – o mais importante – 100% dos spams foram detectados pelos nossos produtos!  Eu disse aos nossos especialistas – e foi confirmado: houve uma tsunami desses tipos específicos de spam – Spam Snowshoe! Isso é atípico nessa época do ano novo, em que os e-mails desse tipo não são tão frequentes.

* Data de 1-10 de janeiro

E aqui estão as informações de como o compartilhamento desse spam Snowshoe mudou no seu dia mais ativo – 7 de janeiro – nas caixas de e-mail dos domínios da nossa empresa:

Então, o que é e como funciona esse spam snowshoe? E como conseguiremos nos proteger?

Leia em:Inteligência humana combatendo malwares

Insira seu endereço de e-mail para se inscrever no blog