Arquivos de tag para “Londres”

Londres Nebulosa

Ufa. Foram dois dias bem corridos na capital do Reino Unido. Com isso, vamos a algumas palavras e muitas fotos sobre esses dois dias…

Foram dois dias em que levantei com as galinhas e fui para cama tarde. Três conferências + três palestras + muitas reuniões + muitas entrevistas + diversos engarrafamentos + muita caminhada (para evitar os engarrafamentos) + nada mais! Quero dizer, nada relacionado a turismo. Ainda assim, consegui tirar algumas fotos desses dois dias:

Um Tâmisa turvo:

Leia em:Londres Nebulosa

O que uma petúnia pensou enquanto caia em queda livre?

…”Ah, não, outra vez!” Sim, estou citando O Guia do Mochileiro das Galáxias: “Curiosamente, a única coisa que passou pela mente do vaso de petúnias ao cair foi: Ah, não, outra vez!  Muitas pessoas meditaram sobre esse fato e concluíram que, se soubéssemos exatamente por que o vaso de petúnias pensou isso, saberíamos muito mais a respeito da natureza do Universo do que sabemos atualmente.”

Estava pensando nesse parágrafo hoje mais cedo. Mais uma vez, a bordo de um avião, olhava pela janela do lado esquerdo para as paisagens.  “Ah, não, outra vez!” Observei o mapa na tela a minha frente, que exibia a trajetória do avião passando por Amsterdã naquele momento, no meu voo entre Moscou e Londres. No dia anterior, voei essa mesma rota, só que o caminho inverso.

DSC04068

“Igual a petúnia, só que o contrário”, pensei. Não sei se estava sofrendo uma crise de alto criticismo ou uma sobrestimativa. Físicos e botânicos possuem visões diferentes sobre o assunto, então não comentarei. Direi apenas que o pouso em Hearthrow foi como devia ser: com Londres plenamente visível pela janela!

Foi ali que eu e A.B. fizemos nossa meia maratona ao longo do Tâmisa semana passada…

Leia em:O que uma petúnia pensou enquanto caia em queda livre?

Photostream do Flickr

Instagram

Meia maratona em Londres

Normalmente, eu respeito uma lógica nos posts daqui. Se não tem muitas fotos, compenso com texto. Se tenho muitas fotos a serem incluídas, eu as deixo compensar pelas poucas palavras.

Hoje teremos algumas palavras. Sempre tem muito o que ver e fotografar na capital do Reino Unido. Estive lá com o A.B. – outro apaixonado por Londres – no fim de semana. Percorremos uma boa meia-maratona ao longo do leito do rio Tâmisa, passando por pontos desconhecidos por mim até então.

Durante a noite que antecedeu nossa maratona fotográfica, ficamos em meu hotel preferido na capital: Ham Yard. Não se trata do hotel mais próximo do rio. Nosso aquecimento ocorreu na Catedral de São Paulo – e claro que subimos no famoso domo, no ponto mais alto.

london-uk-spring-stroll-1

Fotos e vídeos são proibidos dentro da catedral, mas a vista dos arredores lá do topo é simplesmente incrível. – bem papel de parede para área de trabalho.

Leia em:Meia maratona em Londres

Insira seu endereço de e-mail para se inscrever no blog

Como eu perdi meu segundo vôo na vida

Sou um matemático.

Assim, com base nos números por si – como estou sempre viajando – Estou pouco surpreso: mais cedo ou mais tarde isso tinha de acontecer – perdi um vôo!

Aconteceu apenas uma vez antes – em maio de 2010, no final de um dos meus passeios-volta ao mundo habitualmente longos. Eu estava em uma conferência em Chipre, confundi 20:00 com 02:00 – ou algo parecido – e…Vôo perdido. Isso foi em Limassol, indo para Tóquio. No final, fui no dia seguinte.
Leia em:Como eu perdi meu segundo vôo na vida

Uma capital que só melhorou

Quanto mais volto para Londres, mais gosto…

Vim para cá pela primeira vez em 1992, mas naquela época e nos seguintes anos nunca fiquei muito impressionado com a cidade, nunca me sentindo muito à vontade aqui. Arquitetura imperial grave e imponente, o tráfego interminavelmente horrível, pessoas demais nas calçadas, o (rio) Tâmisa sujo… ugh.
Leia em:Uma capital que só melhorou

Tem um elefante verde na sala!

Oi pessoal!

Passeando em Londres há algumas semanas, por recomendação de um amigo colecionador de arte fomos parar em New Bond Street, o local onde as tradicionais casas de leilões da capital estão situados. O momento era perfeito, pois alguns dias antes tínhamos estado no museu Tate Modern, e eu estava com disposição para comprar um pequeno Rothko ou alguma outra obra-prima de arte moderna para o escritório. O que é surpreendente , especialmente para mim, porque não sou de gastar dinheiro por puro exibicionismo.
Leia em:Tem um elefante verde na sala!