A cidade da supremacia em duas rodas

Em Londres, pegamos um avião para o Mar do Norte – para Amsterdã.

Não que tenhamos permanecido muito na praça Dam, fomos direto para Utrecht, e depois para o centro político do país, The Hague, por motivos de negócios.

Nesse post: Utrecth – a cidade das bicicletas.

As magrelas estão por todos os lados nessas bandas. Quando digo em todos os lados, acredite – o local está lotado delas. Caso você esteja a pé, tenha cuidado: um momento de descuido e você ouvirá um sino de bicicleta, sugerindo que você saia da frente (de uma maneira educada, assim como os Holandeses:). Acho que deviam fornecer bonés com retrovisores obrigatórios para os novatos no local, para aqueles não nascidos aqui desprovidos do sexto sentido necessário para detectar o perigo iminente sobre duas rodas

#utrecht #holland #netherlands

A photo posted by Eugene Kaspersky (@e_kaspersky) on


Leia em:A cidade da supremacia em duas rodas

Meia maratona em Londres

Normalmente, eu respeito uma lógica nos posts daqui. Se não tem muitas fotos, compenso com texto. Se tenho muitas fotos a serem incluídas, eu as deixo compensar pelas poucas palavras.

Hoje teremos algumas palavras. Sempre tem muito o que ver e fotografar na capital do Reino Unido. Estive lá com o A.B. – outro apaixonado por Londres – no fim de semana. Percorremos uma boa meia-maratona ao longo do leito do rio Tâmisa, passando por pontos desconhecidos por mim até então.

Durante a noite que antecedeu nossa maratona fotográfica, ficamos em meu hotel preferido na capital: Ham Yard. Não se trata do hotel mais próximo do rio. Nosso aquecimento ocorreu na Catedral de São Paulo – e claro que subimos no famoso domo, no ponto mais alto.

london-uk-spring-stroll-1

Fotos e vídeos são proibidos dentro da catedral, mas a vista dos arredores lá do topo é simplesmente incrível. – bem papel de parede para área de trabalho.

Leia em:Meia maratona em Londres

De volta à infância

Novorossiysk é também minha cidade natal! Nasci aqui faz 50,5 anos! Minha família viveu nesse edifício – Número 21 da Rua Revolução de 1905 – por muitos anos. Nós mudamos no começo dos anos 70 para Khlebnikovo na região de Moscou, onde comecei a frequentar a escola.

Aquí está el número 21:

Nesse jardim, brinquei na caixa de areia, andei de bicicleta pela primeira vez, costumava subir nos pinheiros e amoreiras…. Que nostalgia!

Assim era o prédio em 2002. Um dos exemplos de como a cidade melhorou desde então:

A creche que frequentei era do outro lado da rua – infelizmente um prédio residencial ocupa seu lugar agora.

Novorossiyk: a melhor Cidade da Rússia?

Outro dia, nosso diretor executivo recebeu uma mensagem com o itinerário de uma das minhas viagens de negócios:

  • Krasnodar: reunião com o governador da região, assinatura de acordo de cooperação.
  • Krasnodar: encontro com parceiros em Krasnodar;
  • Krasnodar: palestra na Universidade estadual de Krasnodar.
  • Voar para Novorossiysk;
  • Novorossiysk: reunião com nossos parceiros em Novorossiysk.
  • Novorossiysk: visitar o porto da cidade.

Anexo ao recado estava um recibo do pagamento do aluguel de um helicóptero para o trajeto entre Krasnodar e Novorossiysk. O nome da empresa dona do helicóptero: Abrau-Durso – o famoso produtor local de vinho e champanhe!

“Helicóptero… Sei! Isso que o senhor chama de viagem de negócios? ” Brincou o diretor executivo. :).

Infelizmente, não tivemos tempo para visitar a cave. No fim era mesmo uma viagem de negócios.

A vista daqui de cima era espetacular:

Leia em:Novorossiyk: a melhor Cidade da Rússia?

+1 Krasnodar (a cidade do bem-estar)

Gosto de listas e comparações. Por conta desse hobby, preparei há um tempo uma lista das cidades russas que já visitei.  O que me pegou de surpresa foi que estive em mais cidades americanas do que russas. Tudo bem que a diferença não é grande, meu placar marca 16 nos EUA contra 14 na Rússia.

Ainda assim, como assim? Por quê?  Não tem nada de normal nisso. (Aqui você pode ver a metodologia que usei para fazer para fazer o cálculo acompanhado pela lista das respectivas cidades.)

De qualquer forma, adicionei mais um ponto no placar para a Rússia: a cidade de Krasnodar.

Leia em:+1 Krasnodar (a cidade do bem-estar)

Rotas aéreas da América do Sul ao Sudeste Asiático

Ir de Cancun no México para Sanya na China nunca será fácil mesmo com as melhores condições climáticas. Mas não é tão difícil assim. De qualquer forma, essa rota se enquadra na categoria das mais complexas. Juntamente com ela, encontramos as rotas que ligam a América do Sul ao Sudeste Asiático: as rotas dificilmente são diretas e a distância é invariavelmente gigantesca.

Por exemplo, voar de Hong Kong, Bangkok ou Kuala Lumpur para Santiago ou Buenos Aires sempre será um teste de paciência no que diz respeito a horas de voo e número de conexões. Enfatizo o sempre porque todas as rotas disponíveis – quatro – levam aproximadamente o mesmo número de horas para serem completadas.

Pergunto:

Quais são essas quatro rotas comerciais bem distintas que ligam o Sudeste Asiático e a América do Sul? (uma delas não voei ainda). Vamos de Hong Kong para Buenos Aires?

World Map

Leia em:Rotas aéreas da América do Sul ao Sudeste Asiático

Do México à China

Atenção! Estamos transmitindo diretamente do aeroporto de Tijuana! Esse é o começo de um reality show sobre um viajante tentando voar do México à China. Bem-vindos a bordo!

O jeito mais conveniente de chegar na China a partir de Cancun é pelo seguinte trajeto: Cancun -> Cidade do México -> Xangai (com parada para abastecer). Infelizmente, dessa vez, essa rota não funcionou. O aeroporto Pudong de Xangai estava fechado por problemas técnicos: uma neblina daquelas. O que nos redirecionou para a cidade mais ao norte do México, Tijuana, à espera da decolagem.

Essa parte do México é bem remota, muita gente nunca virá aqui ou nunca sequer ouviu falar. Isso tudo só serve para deixar a cidade mais interessante. Tijuana é conhecida como a terceira cidade mais próspera do México (atrás de Cancun e da Cidade do México). Isso talvez se deva à proximidade com os Estados Unidos, bem ali do outro lado da fronteira, possibilitando a instalação de diversos tipos de fábrica, ainda mais por conta da estrutura de saúde barata (mas decente). Além disso, é um dos lugares mais criminalizados do México suprindo drogas e imigrantes ilegais para os EUA. Nada bom…olhando para o centro da cidade (da varanda do meu hotel) tudo parece bem tranquilo – lembra lugares como Califórnia e Flórida.

Tijuana-airport-1

Leia em:Do México à China

O nascer do sol em Cancun

A temporada de 2016 está com tudo, eventos de inverno e primavera um atrás do outro. Terminamos, recentemente, nossa Conferência Anual com Parceiros da América do Norte.

Essa edição não foi diferente das outras. Apresentações, reuniões, discussões. Serviços de tecnologia de produto, estratégias, marketing, problemas, oportunidades, ideias. Almoço, diversão, socialização. Dois dias. Cheguei, encontrei o pessoal e mãos à obra.

cancun-mexico-partner-conference-1

De sol a sol. Falando nisso, o nascer do sol é incrível:

#Cancun sunrise #Mexico // Ох уж эти канкунские рассветы!

A photo posted by Eugene Kaspersky (@e_kaspersky) on

Leia em:O nascer do sol em Cancun

DE CARRO PELOS ALPES

Seria um desperdício vir aos Alpes, lar do esqui na Itália, não calçar um par de esquis e tentar a sorte nas rampas em volta do vale. Sem falar que a última vez que esquiei em uma montanha foi em 2012! Costumava passar uma semana ou duas nos Alpes a cada inverno. Hoje em dia, com todos os compromissos de negócios, não tenho mais a chance de subir em um esqui e me aventurar até que meu coração esteja prestes a sair pela boca. Tive sorte dessa vez: três dias e meio de rampas e as paisagens geladas! Os Alpes são fabulosos no inverno! É provável que eles continuem incríveis no verão, mas eu nunca vi por mim mesmo.

livigno-italy-ski-1

A rare ski experience out of the business hours // Немного укатайки между делами

A photo posted by Eugene Kaspersky (@e_kaspersky) on


Leia em:DE CARRO PELOS ALPES