Arquivos de tag para “IoT”

Notícias do lado sombrio: ciber-hipocrisia, Mirai, GCHQ de olho em você, BlueKeep à distância

Olá a todos!

Hoje começamos com uma boa notícia …

Continuamos a solução de segurança “a mais testada, a mais premiada”.

Há pouco, o respeitado laboratório de testes independente AV-Comparatives divulgou os resultados de sua análise anual. No estudo, entrevistaram 3.000 pessoas em todo o mundo nas últimas semanadas de 2018 e, das 19 perguntas respondidas pelos participantes, uma era “Qual solução principal de segurança antimalware para computador que você usa?”. Adivinha qual marca está em primeiro lugar na Europa, Ásia e América Central e do Sul? Bem, sim: K! Na América do Norte, somos os segundos (e tenho certeza de que é temporário). Além disso, na Europa, fomos escolhidos como a solução de segurança mais usada em smartphones. Também estamos entre as empresas que recebem mais solicitações de testes de produtos de usuários, tanto na versão doméstica quanto em produtos destinados a empresas. Ótimo! Nós gostamos dos testes e acho que você pode imaginar nossos motivos! . A propósito, aqui você vai encontrar mais informações sobre avaliações independentes e testes que nossos produtos são submetidos

“Hipócrita, tire primeiro a viga do seu olho, e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão.”, Mateus 7: 5.

Em maio, outra backdoor foi descoberta com funcionalidades muito úteis para a espionagem. E onde esta porta dos fundos foi encontrada? Na Rússia? Na China? Bem, foi na Cisco (sim, novamente)! Houve uma agitação nas redes? Manchetes e discussões sobre ameaças à segurança nacional? Houve conversas sobre a proibição de produtos da Cisco fora dos Estados Unidos? Espere, você também não viu? Mas, ao mesmo tempo, a Huawei está no auge de um linchamento internacional, embora não exista backdoors ou evidências convincentes dos fatos.

fonte

Leia em:Notícias do lado sombrio: ciber-hipocrisia, Mirai, GCHQ de olho em você, BlueKeep à distância

Uma breve história dos ataques DDoS

A abreviação DDoS se tornou parte do léxico ao nível que a forma estendida não é mais escrita em notícias de forma geral. Bem, alguns talvez não saibam o significado, mas todo mundo sabe que ataques DDoS são péssimos e envolvem algo parando de funcionar do nada, deixando o departamento de TI em polvorosa com redes fora do ar e clientes desorientados. Outro fato conhecido é que ataques DDoS são executados por cibercriminosos desconhecidos, misteriosos e da pior espécie.

Ataques DDoS evoluíram rapidamente, fato que você descobrirá ao ler este artigo. Cresceram de forma terrivelmente e se tornaram muito avançados o âmbito da técnica; de tempos em tempos são adotados métodos de ataque completamente incomuns; tem sempre alvos distintos; quebram recordes mundiais pelo posto de pior DDoS de todos os tempos. Todavia, o mundo no qual DDoS estão inseridos evoluiu bem rápido também. Tudo desde a pia da cozinha é online agora: o número de dispositivos ditos “inteligentes” conectados à rede agora ultrapassa absurdamente o número de bons e velhos desktops e notebooks.

O resultado dessas duas evoluções paralelas – dos ataques em si e do ambiente em que ocorrem – trouxe duas frentes igualmente evoluídas: botnets compostas de IP câmeras e roteadores W-Fi viabilizando quebras de recordes em tamanhos de DDoS (Mirai) e grandes ataques DDoS a bancos russos.

Se anteriormente, as botnets eram compostas por computadores zumbis, logo serão feitas de geladeiras, aspiradores de pó, secadoras e cafeteiras zumbis.

brevity-comic

E o que vem depois?

Leia em:Uma breve história dos ataques DDoS

Photostream do Flickr

Instagram