Arquivos de tag para “Russia”

Altai – 2016: Parque aquático Kantun

Depois das corredeiras do Shyoki, o Katun se converte em um rio relativamente calmo e permanece dessa forma por 200 quilômetros, no qual a corrente é mais suave (mesmo que forte) e raramente interrompida. Ao redor temos montanhas, florestas e campos, nem uma viva alma em quilômetros, além de nós. Nem sequer vimos animais além de alguns patos e outros pássaros.

Nosso bote com turistas a bordo foi rio abaixo, o capitão permaneceu silencioso, não deu ordens para remarmos, de modo que aproveitamos a paisagem enquanto flutuávamos.  O sol apareceu e nos aqueceu. Estávamos em estado de meditação próximos ao nirvana.

Leia em:Altai – 2016: Parque aquático Kantun

Altai – 2016: Margens e corredeiras

Antes, quando ouvi as palavras Rio Katun, ou apenas Katun, imaginei correntes violentas e rafting.  Foi a primeira coisa que veio na minha cabeça.  Agora,  essa ideia está completamente fixada na minha cabeça depois de mais de 400 km de rafting rio abaixo. Contudo, o Katun não é feito apenas de água e rafting, é também um lugar repleto de beleza sublime.

Leia em:Altai – 2016: Margens e corredeiras

Photostream do Flickr

Instagram

Altai-2016: Heli-Belukha e Aqua-Katun

Isso nunca havia ocorrido, mas aqui está, acontecendo mais uma vez.

Quem diria “não” perante a chance de voar de helicóptero acima de montanhas e vales? Sem mencionar,  voar pela primeira vez acima de Belukha, além da conveniência de levar todo seu equipamento de rafting para a montante do Rio Katun.

Por que usar palavras, afinal? Este é um lugar para fotos,  não palavras….

Leia em:Altai-2016: Heli-Belukha e Aqua-Katun

Insira seu endereço de e-mail para se inscrever no blog

Altai-2016: Monte Belukha Multi-colorido

Nosso primeiro destino foi o monte Belukha. É bem famoso, mas só em alguns ciclos. O que é uma pena, porque o lugar é absolutamente incrível! Lindo, monumental, enorme, Temos neve, geleiras, formações rochosas coloridas, vegetação, rios glaciais e cachoeiras com água pura e geladinha. Decidimos começas com a Vila da Pedra, um lugar cult para conhecedores e fãs de Roerich e suas forças secretas da natureza na busca de um Altai Shambhala. Uma caminhada ao longo do “Desfiladeiro do Jarl” leva ao córrego de mesmo nome (veja aqui).

A Vila da Pedra não causou muito entusiasmo. Um dos integrantes do nosso grupo a descreveu como um amontoado de entulho em um local cult.

Leia em:Altai-2016: Monte Belukha Multi-colorido

Altai-2016: o grande curso d’água.

Olá pessoal!

Altai está entre os lugares mais fascinantes e mágicos no planeta.

Não é apenas bonito, vai além disso. Pode ser algum tipo de energia especial nas pedras ou algo desconhecido por nós.  As cores são mais vívidas, a água tem um “sabor” melhor,  o verde é mais verde e as montanhas contrastam melhor com os arredores.  Tive a chance de passar três semanas em Altai com um grupo de colegas aventureiros.

Fizemos trilha, voamos de helicóptero e rafting (Rio Katun a baixo).

No fim, caminhamos 70 km até o Lago Akkem, e depois ao longo dele, voamos pelo monte Belukha de helicóptero, chegando à jusante do Katun, fizemos então rafting até a parte mais baixa do rio – quase 400 km a frente, chegando a descer de uma altitude de quase 1km.

E era essa a cara de tudo.

Leia em:Altai-2016: o grande curso d’água.

Moscou sob meu olhar

Quando me perguntam onde moro no mundo, respondo Moscou.  Contudo, moro aqui apenas por 4 ou 5 meses por ano (no resto do tempo estou na estrada a negócios). Nesses meses vejo pouco além do caminho de casa para o escritório e para os três aeroportos internacionais de Moscou.

Vez outra vou ao centro da cidade por esse ou aquele motivo como uma consulta ao dentista,  nossa festa de Natal e Ano Novo, ou à uma clínica para renovar minha vacina contra febre amarela ( necessária em alguns países da América Latina e da África). Fora issi, dificilmente ando por aí. Quem diria?! Eu, que sempre tento turistar nas cidades em que estou a negócios não faço o mesmo na qual eu moro? Estranho.

Decidi mudar isso no fim de semana. Acompanhado por mais dois colegas turistas que tem viajado muito. Era chegada a hora de turistar em Moscou,  pelo menos uma parte – tínhamos seis horas.

Começamos nas Sparrow Hills e terminamos na MolochnyyPereulok, ou Dairy Lane:

Leia em:Moscou sob meu olhar

De volta à infância

Novorossiysk é também minha cidade natal! Nasci aqui faz 50,5 anos! Minha família viveu nesse edifício – Número 21 da Rua Revolução de 1905 – por muitos anos. Nós mudamos no começo dos anos 70 para Khlebnikovo na região de Moscou, onde comecei a frequentar a escola.

Aquí está el número 21:

Nesse jardim, brinquei na caixa de areia, andei de bicicleta pela primeira vez, costumava subir nos pinheiros e amoreiras…. Que nostalgia!

Assim era o prédio em 2002. Um dos exemplos de como a cidade melhorou desde então:

A creche que frequentei era do outro lado da rua – infelizmente um prédio residencial ocupa seu lugar agora.

Novorossiyk: a melhor Cidade da Rússia?

Outro dia, nosso diretor executivo recebeu uma mensagem com o itinerário de uma das minhas viagens de negócios:

  • Krasnodar: reunião com o governador da região, assinatura de acordo de cooperação.
  • Krasnodar: encontro com parceiros em Krasnodar;
  • Krasnodar: palestra na Universidade estadual de Krasnodar.
  • Voar para Novorossiysk;
  • Novorossiysk: reunião com nossos parceiros em Novorossiysk.
  • Novorossiysk: visitar o porto da cidade.

Anexo ao recado estava um recibo do pagamento do aluguel de um helicóptero para o trajeto entre Krasnodar e Novorossiysk. O nome da empresa dona do helicóptero: Abrau-Durso – o famoso produtor local de vinho e champanhe!

“Helicóptero… Sei! Isso que o senhor chama de viagem de negócios? ” Brincou o diretor executivo. :).

Infelizmente, não tivemos tempo para visitar a cave. No fim era mesmo uma viagem de negócios.

A vista daqui de cima era espetacular:

Leia em:Novorossiyk: a melhor Cidade da Rússia?

+1 Krasnodar (a cidade do bem-estar)

Gosto de listas e comparações. Por conta desse hobby, preparei há um tempo uma lista das cidades russas que já visitei.  O que me pegou de surpresa foi que estive em mais cidades americanas do que russas. Tudo bem que a diferença não é grande, meu placar marca 16 nos EUA contra 14 na Rússia.

Ainda assim, como assim? Por quê?  Não tem nada de normal nisso. (Aqui você pode ver a metodologia que usei para fazer para fazer o cálculo acompanhado pela lista das respectivas cidades.)

De qualquer forma, adicionei mais um ponto no placar para a Rússia: a cidade de Krasnodar.

Leia em:+1 Krasnodar (a cidade do bem-estar)

3 em 1: história, inovação e viagem de negócios

Vou a diversos lugares remotos nesse planeta, mas às vezes alguns deles são bem… previsíveis: capitais, cidades de financeiras, lugares imperdíveis muito conhecidos… Mas ocasionalmente também chego em lugares menos óbvios.

Por exemplo: Sviyazhsk já ouviu falar? Acho que não!

Bem, é uma cidade antiga, agora um vilarejo, localizada na confluência entre os rios Volga e Sviyaga.


DSC02592

De acordo com nosso ótimo guia da excursão (normalmente, confio mais em bons guias do que na Wikipédia), a história resumida da cidade é a seguinte: Leia em:3 em 1: história, inovação e viagem de negócios